Skip to content
The Aetherius Society

A Mãe Terra

Um dos princípios fundamentais dos ensinamentos da Sociedade Aetherius é a crença de que a Mãe Terra é uma Deusa viva. Esta crença é mantida por inúmeras culturas ao longo da história e, em certas tradições, como o xamanismo, continua a ser encarada como essencial, quer em termos filosóficos, quer em termos práticos. Em anos recentes, o conceito da Terra como uma entidade viva tem vindo a adquirir uma presença controversa na comunidade científica, sob a forma da “Hipótese de Gaia,” que foi formulada pelo Prof. James Lovelock nos anos setenta.

Os Deuses do espaço ensinam que Terra é uma entidade consciente, viva, que respira – com sentimentos e pensamentos, tal como qualquer outra entidade viva consciente. Ela é extremamente avançada, e mais do que merecedora do título de “Deusa,” devido à sua extraordinária sabedoria, compaixão e poder espiritual.

Ela sacrificou literalmente a sua própria salvação, para que possamos viver aqui. A beleza do mundo natural em nosso redor não é senão um pálido reflexo da insondável beleza interior da sua alma grandiosa. Para ela, isso constitui um véu limitador que ensombra a sua luz colossal – um véu que existe apenas para nos proporcionar as condições físicas que, devido ao nosso baixo estado de evolução, necessitamos atualmente para adquirir experiência kármica.

Embora a ecologia pelo bem da humanidade seja algo muito válido – um motivo ainda mais elevado em termos ecológicos é ajudar a própria Terra. Como ser senciente, ela pode sentir literalmente o mal que lhe fazemos – quer seja através da poluição quotidiana de que somos culpados quer, de uma maneira muito mais grave, através das abominações da bomba atómica e das experiências nucleares – pelas quais a humanidade no seu todo tem uma responsabilidade moral, e kármica.

Irradiar energia amorosa em gratidão à Terra através da oração e de outras práticas espirituais é o mínimo que devemos fazer em reconhecimento por tudo o que ela tem feito – e continua a fazer – por nós, por mais indignos que sejamos, com toda a certeza. Além disto, informam-nos que, espalhando a espantosa verdade do seu Divino sacrifício, podemos, na realidade, ajudar esta grandiosa e maravilhosa Deusa na limitação que agora sofre. Nós devemos-lhe tudo – e fizemos muito pouco para lhe agradecer, sequer – pelo que toda e qualquer oportunidade que tenhamos de lhe dar serviço devem ser aproveitadas sem a menor hesitação. Uma das melhores maneiras de que a humanidade dispõe para ajudar a Terra neste momento é através da Operação Raio de Sol.

Os Senhores do Karma não permitirão que a Mãe Terra continue a suportar indefinidamente este terrível fardo. Haverá uma altura em que ela removerá este invólucro de limitação auto imposta a que chamamos lar – e começará a irradiar a sua verdadeira glória. Precisamos de nos preparar para esse grande acontecimento, de maneira a estarmos espiritualmente evoluídos para suportar o colossal poder das suas energias quando isso acontecer. Essa, talvez mais do que qualquer outra verdade, faz com que a ação espiritual não seja apenas uma mera opção pessoal, mas sim uma necessidade prática e lógica para todos nós.

O Logos Terrestre

Abençoado é o Logos desta Terra, pois Ela brilha como um Sol brilha. Contudo—de propósito—Ela oculta esta Luz debaixo do alqueire de uma forma material, que dá sustento ao homem.

O Mestre Jesus na sétima de As Doze Bênçãos

Recomendamos: