Skip to content
The Aetherius Society

Como rezar

A seguir, encontrará excertos editados do livro Prayer Energy, descrevendo uma técnica de oração simples mas poderosa.

 A Técnica de Oração

A seguir, encontrará excertos editados do livro Prayer Energy, descrevendo uma técnica de oração simples mas poderosa.

A postura para a técnica de oração

  1. Mantenha-se de pé ou sentado em silêncio durante alguns instantes, com as costas tão direitas quanto lhe for confortável, respirando fundo e de uma forma constante, de olhos fechados. Depois, erga as mãos de maneira a ficarem mais ou menos paralelas à parte superior dos ombros, com as palmas viradas para o exterior e os dedos unidos.
  2. Visualize uma luz branca cintilante vinda de cima e entrando pela sua cabeça, carregando todas as células do seu cérebro com o seu poder vibrante. Leve essa energia através do pescoço e dos ombros, passando pelo peito e saindo pela parte da frente do centro cardíaco, alguns centímetros diante do esterno. Carregue este centro com a luz branca cintilante.
  3. Depois, visualize a luz a descer pelos ombros, percorrendo os braços e descendo até às mãos. Agora, direcione esta energia para o exterior,de maneira a obter um veio de luz branca curadora a fluir pelas suas palmas das mãos e o chakra do coração. Está agora pronto para dizer a sua oração, que é normalmente dita em voz alta. Pode direcionar a energia para onde quiser, quer seja para uma pessoa que esteja doente, quer para uma região em crise, visualizando a pessoa ou a região, não como se encontram agora, mas como podiam estar – reluzindo de felicidade e bem-estar espiritual.
  4. Depois de terminar, varra com a mão direita sobre a esquerda, para longe de si. Isso serve para selar a energia e simboliza a conclusão da prática. Estas posições de mãos são conhecidas no leste por mudras, uma palavra particularmente associada ao Tibete.

Mesmo sem referir uma Fonte Divina, esta técnica terá o mesmo poder, mas eu recomendaria vivamente que seja feito um pedido à Fonte Divina – o que quer que lhe chame. Isso pode ajudar a elevar a energia da oração e capacitá-la, através do reconhecimento consciente da verdade de que a energia que estamos a usar deriva de uma fonte maior do que nós próprios.

Demonstrando a técnica de oração numa Montanha Sagrada.

Da mesma forma, é bom terminar uma oração com algumas palavras de agradecimento à Fonte Divina. Os nossos agradecimentos não são necessários, claro, mas como recebemos algo, despender alguma energia a agradecer representa um pagamento, dar um certo equilíbrio ao ritual a ser executado.

A gratidão também funciona como uma afirmação positiva de que uma oração será eficaz – caso contrário, não haveria nada por que estar grato. Esta confiança na nossa capacidade, desde que não seja presunçosa, serve para dar poder à oração.

Outra razão para dar graças é que isso representa uma maneira de dizer “Está encerrado”, ajudando-o a desapegar-se da ação, em vez de se preocupar quanto à eficácia da sua oração. Essa preocupação, embora bem intencionada, pode interferir com a energia de elevação enviada por si, pois todos os nossos pensamentos produzem energia mental, e a energia mental de dúvida é contraproducente.

* * *

Diga-a com sentimento

Para a oração funcionar corretamente, ela deve ser expressa com sinceridade e sentimento, e todo o ato deve ser executado com total concentração. Não devemos rezar como se estivéssemos a falar numa festa ou a tagarelar com um amigo. A oração não é um telefonema para a sua mãe, ou um pedido ao seu patrão, a um padre, uma estrela de cinema, um político ou mesmo um presidente – é um apelo à Fonte Divina. Imagine, em termos metafóricos, que lhe era dada a oportunidade de ter uma audiência com Deus, se é assim que quer referir-se à Fonte Divina, e dizer o que deseja e como se sente – é exatamente isso que está a acontecer quando você reza. Se balbuciar as suas orações, ou as disser sem sentimento, isso é o mesmo que dizer: “Não preciso de fazer qualquer esforço ao expressar-me a Deus.” Na realidade, isso demonstra falta de apreço pela Fonte Divina de toda a criação e, por conseguinte, pela mais importante parte de si, e irá limitar consideravelmente o poder da oração.

Jane Austen afirmou: “Concedei-nos a graça, Pai todo-poderoso, para orar a ponto de merecer ser ouvido.” Ela exprimiu-se bem. Tecnicamente, todas as orações “merecem ser ouvidas”, pois elas invocam e transmitem uma certa quantidade de energia, mas a quantidade e a qualidade da energia aumentarão dramaticamente, quando começarmos a rezar de uma forma dinâmica.

Experimente dizer ‘A Nova Oração do Senhor’ ou, de facto, qualquer outra oração positiva, de uma forma o mais expressiva possível. Não se preocupe por poder parecer tolo. Limite-se a dar o seu melhor. Torne-a tão dinâmica em intensidade mas não em volume, como um grito que soltasse se alguém lhe pisasse o pé, e tão incondicional como quando os jogadores de futebol aplaudem as suas equipas preferidas, embora exerçam mais autocontrolo. Não tem de falar muito alto – o mais importante é não se conter minimamente. Imagine que a sua vida depende de cada palavra. Não seja melodramático nem demasiado emotivo. Coloque sentimento genuíno e amor no seu ato. Este é o primeiro passo.

Controlar a energia da oração

O passo seguinte – depois de se ter habituado a dizer uma oração em voz alta com todo o sentimento de que for capaz, invocando e transmitindo assim muito mais energia do que antes – é treinar-se a adquirir mais controlo sobre a energia. Isso irá permitir-lhe servir de canal para ainda mais energia, e de melhor qualidade que, por seu turno, torna as suas orações cada vez melhores.

A oração deve ser uma sinfonia de contrários equilibrada, uma melodia do yin e do yang, uma mistura harmoniosa de luz e sombra, cada uma trazendo vida à outra. Para adquirir mais controlo sobre a energia da oração, você deve ser:

  • gentil, mas também definido e firme
  • apaixonado, mas controlado e não demasiado emotivo
  • cheio de compaixão e querendo o resultado da oração com todo o seu coração, e no entanto, também estar desapegado dele
  • implorante, mas confiante no resultado da oração
  • humilde, e no entanto, sentindo-se tão poderoso como a Fonte Divina, que é a sua essência.

Com o desenvolvimento destas qualidades, as suas orações deverão tornar-se mais serenas sem perderem qualquer da intensidade demonstrada ao rezar em voz alta. Uma boa maneira de cultivar esses atributos opostos é alternar um pouco o volume da sua oração, de maneira a que algumas palavras e expressões sejam mais altas do que outras, e algumas palavras mal se ouçam.

Rezar desta maneira não é fácil e requer muita prática. Lembre-se de que está a tornar-se num canal para permitir que a energia flua através de si. Você não está a tentar forçá-la. O seu corpo não deve estar tenso ao ponto de tremer. Em vez disso, deve estar fisicamente descontraído, ao mesmo tempo que tenta manter a postura descrita na técnica de oração.

Muitas vezes, é possível que não se sinta, de modo nenhum, com disposição para rezar. Na verdade, quando nos sentimos muito em baixo, a oração pode constituir uma luta, mas é precisamente nessa altura que a oração pode fazer melhor. Por isso, tente. Faça apenas uma pequena oração. Isso pode mudar o seu estado de espírito tão depressa, que talvez sinta vontade de prosseguir e dizer mais algumas orações, assim que tiver terminado a primeira.

A oração e a personalidade andam a par. Todas as pessoas têm uma maneira individual de rezar, mesmo quando aderem aos mesmos princípios, tal como já referimos. O que é interessante, porém, é que a nossa verdadeira personalidade parece revelar-se através da oração – afinal de contas, a oração tem de ser genuína, para ter qualquer significado. Ela tem de vir da alma. Alguém que está aparentemente muito passivo, pode de repente vir à vida durante a oração, tornando-se quase irreconhecível. É essa a verdadeira personalidade dessa pessoa. Aquela que ele ou ela mostra habitualmente é apenas a superfície do oceano calmo e profundo da sua verdadeira natureza espiritual.

Aprender a rezar não representa apenas a aquisição de uma competência incrivelmente útil e prática. É uma ferramenta de transformação e descoberta pessoal. À medida que a sua capacidade for melhorando, você descobrirá que irá melhorando em toda a sua vida, de múltiplas maneiras. Isso irá, em suma, trazer cá para fora o melhor de si.

Recomendamos: